top of page
Buscar

El Niño - Um Guia Para o Mercado de Café (Parte 1)

O período de 1997 a 1998 marcou uma das mais fortes ocorrências de #ElNiño já registradas, exercendo uma influência substancial em todo o mundo, inclusive no mercado #cafeeiro. Esse fenômeno meteorológico ressurgiu em 2015, provocando interrupções significativas na produção de #café nas regiões do Leste Asiático.

O evento El Niño está ocorrendo este ano e existem algumas vulnerabilidades específicas que aqueles de nós que atuam no mercado cafeeiro precisam examinar.


Neste artigo de 2 partes, discutiremos por que nos preocupamos com os eventos do El Niño, o que é o El Niño e forneceremos uma visão geral detalhada do seu impacto nas principais origens produtores de café do mundo.



Por que nos preocupamos com o El Niño?

Afinal, o café é um produto #agrícola. Isso significa que seu crescimento e rendimento estão intimamente ligados às condições climáticas, razão pela qual os padrões meteorológicos são um fator determinante para a #produção e os #preços do café. No entanto, "choques" climáticos ou eventos incomuns podem ter um impacto dramático e imediato nos preços em um curto período de tempo.


Dentre os vários eventos climáticos, o El Niño se destaca como um dos principais fenômenos disruptivos que influencia chuvas e temperaturas de diversas formas em importantes origens produtoras de café ao redor do globo.

[Buscando uma análise profissional do mercado de café? Não procure mais! Inscreva-se para uma avaliação gratuita de nossos Relatórios de Mercado e descubra um mundo de informações valiosas]


A influência disruptiva do El Niño é particularmente pronunciada no contexto das lavouras de café #Robusta, que carregam o peso de seu impacto devido à proximidade do #Vietnã e da #Indonésia com o Pacífico, onde o El Niño se origina. Enquanto isso, a região cafeeira do #Brasil (principalmente #Arábica) é amplamente poupada do impacto direto e às vezes pode até se beneficiar.


O evento El Niño está historicamente relacionado a mudanças na produtividade do café Robusta, influenciado pela diminuição das chuvas e uma estação seca prolongada.

Os efeitos do El Niño nas lavouras de café arábica são menos pronunciados, com algumas origens de café até se beneficiando desse fenômeno, como o Brasil e algumas origens da América Central. Algumas regiões experimentam aumento das chuvas, principalmente nas origens produtoras do leste africano, enquanto as chuvas na #Colômbia podem ser um pouco reduzidas pelos efeitos de longo alcance desse fenômeno.



Positivo ou negativo, otimista ou pessimista, nenhuma origem importante do café é imune à influência do El Niño e, portanto, entender o escopo do impacto do El Niño nas origens do café é essencial para prever mudanças globais nos preços em escala macro. No entanto, também é essencial para entender o micro impacto, o fornecimento pode mudar em países produtores específicos, impactando na qualidade, disponibilidade e diferenciais.

El Niño explicado

O El Niño é visível principalmente por meio de interrupções nos padrões de temperatura e precipitação em todo o mundo, mas a causa é uma mudança cíclica nas temperaturas da superfície do mar no Oceano Pacífico equatorial central e oriental. Essencialmente, o sol aquece a água ao longo do equador, os ventos puxam essa água quente e, à medida que esfria, ela afunda, criando um movimento circular.


Essa ocorrência geralmente se repete em intervalos de aproximadamente três a quatro anos.


El Niño - Fonte: World Ocean Review


[Inscreva-se para uma avaliação gratuita de nossos Relatórios do mercado de café e saboreie o conhecimento que alimenta o sucesso]



As elevações nas temperaturas da superfície do mar iniciam um evento peculiar que transforma dois padrões climáticos principais: a Zona de Convergência Intertropical (ITCZ) e a Corrente de Jato Subtropical. Essas transformações alteram completamente os padrões de precipitação em várias regiões (incluindo as principais origens de café) em todo o mundo.

A Zona de Convergência Intertropical (ITCZ) é uma zona ventosa e chuvosa que se torna um ponto focal de mudança dentro deste complexo sistema.


O El Niño exerce uma influência pronunciada na ITCZ, invertendo seu movimento típico para oeste e criando um movimento para leste. Consequentemente, essa mudança desvia a ITCZ (e sua umidade) ​​para longe do leste da Ásia (portanto, para longe dos principais produtores de #Robusta #Vietnã e #Indonésia), levando ao deslocamento dos padrões de chuva associados que normalmente a acompanham.



A corrente de jato subtropical (SJS) é uma corrente de ar de alta velocidade que percorre as camadas superiores da atmosfera e durante os episódios de El Niño, ela se torna mais forte e mais ativa. Esse estado intensificado desvia o ar carregado de umidade para as regiões do norte, abrangendo o México e os Estados Unidos, enquanto os ventos mais fortes podem tornar menos provável a formação de furacões perto das áreas cafeeiras da América Central.


[Não deixe que o mercado de café o mantenha acordado à noite! Inscreva-se para uma avaliação gratuita de nossos relatórios de mercado e fique tranquilo com dados e análises abrangentes.]




Durante anos normais, o leste do Pacífico é mais frio do que sua contraparte ocidental e, portanto, o ar úmido sobe do leste (mais quente) e desce para o oeste (mais frio). No entanto, o gradiente de temperatura elevado durante os eventos de El Niño interrompe o padrão de circulação convencional, alterando o fluxo de chuva.


A interação entre esses fenômenos muda os padrões climáticos globalmente de maneiras importantes. Algumas regiões testemunham um aumento nas chuvas devido aos padrões de circulação reconfigurados, enquanto outras sofrem com a seca. Em nosso próximo artigo, examinamos o impacto específico do el niño nas origens globais do café.

Continua!


parte 2 - Impacto do El Niño na produção de café: uma visão detalhada



[Procurando atualizações mensais confiáveis ​​sobre o balanço global de oferta e demanda do café? Experimente o nosso Plano Silver!]



35 visualizações0 comentário

Posts recentes

Ver tudo

Comments


bottom of page